Skip Navigation Links



Translate this page now :



»Programação
»Programação.NET
»Banco de Dados
»Webdesign
»Office
» Certificações Microsoft 4
»Treinamentos4
»Programação 4
»Webdesign«
»Office & User Tips«
»Grupos de UsuĆ”rios
»CĆ©lulas AcadĆŖmicas«
intcontpiada : 118
Scaneando
Você já está cadastrado e participa do grupo de usuários de sua cidade ? Se não, comente o porque.
 
 
FaƧa um pequeno teste com 10 questƵes de VB
.:.
Teste seus conhecimentos em Visual Basic, SQL Server e ASP 3.0 com nossas provas on-line
.:.
Aprimore seus conhecimentos em programaĆ§Ć£o com nosso treinamento on-line de lĆ³gica de programaĆ§Ć£o
.:.
Veja nosso calendƔrio de treinamentos
Gostou da PƔgina?
Então

para um amigo!

Pesquisa personalizada
Pesquisar Dicas:

 






Utilizando o WebService do Google

Os WebServices são uma nova e inovadora técnica para a troca de dados via Web e muitas empresas estão aderindo ao fornecimento e consumo de serviços na web.

Anteriormente aos WebServices, a troca de dados entre empresas normalmente era realizada através de componentes COM (isso quando era feita de forma, digamos, moderna. Quando não, era DPLDPC - Disquete para Lá, Disquete para Cá).

Porém, a comunicação de componentes COM uns com os outros em locais distantes de uma Wan ou até mesmo da internet sempre foi algo complexo. Os componentes COM utilizam o protocolo de rede DCOM, que por sua vez é baseado no RPC. Consequentemente torna-se necessário ter a porta 135 e mais 20 portas aleatórias abertas para a comunicação entre os componentes. Isso sempre foi uma cadastrofe para a configuração de Firewalls. Deixar muitas portas abertas é sempre um convite a invasões.

Claro que sempre foi possível determinar quais 20 portas seriam usadas, mas sempre foi uma configuração demasiadamente complexa, a grande maioria dos administradores de rede não sabia realiza-la.

E eis que surgiu a idéia de fazer a troca de dados entre os componentes COM via XML, apenas pela porta 80.

Mas como um componente COM pode chamar outro via porta 80, como toda a comunicação dos componentes pode passar por HTTP ? As vezes a resposta correta acaba sendo a mais simples e óbvia : Basta ter um servidor web com "algo" instalado que sirva como intermediário. Esse servidor Web recebe via POST um documento XML contendo a descrição do que tem que ser chamado (componente/método), executa o componente e devolve a resposta em XML. Durante muito tempo foram utilizadas simples páginas ASP para realizar esse papel de intermediárias. Escrevemos um excelente artigo sobre isso, chamado "O que é XML", que demonstra a comunicação entre uma aplicação VB e uma página ASP.

Foi neste ponto que começaram a surgir (e serem atendidas) necessidades de padronização desta tecnologia. Surgiu então o Soap (Simple Object Access Protocol), um padrão de documento XML para fazer o disparo de um método de um determinado componente existente remotamente e devolver o resultado da execução deste método. Temos aqui no site um excelente artigo sobre SOAP.

Praticamente junto com o SOAP surgiu mais uma necessidade de padronização : Tornou-se necessário que a aplicação fosse capaz de identificar automaticamente os métodos existentes em um serviço remoto e a forma de chama-los, para que assim pudesse não só validar como até mesmo gerar automaticamente os pacotes SOAP para fazer a comunicação.

Surgiu então o padrão WSDL (WebServices Description Language), que fornece a descrição de tudo que um WebService possui. Surgiram então Wizards e componentes capazes de utilizar o WSDL para gerar automaticamente as chamadas SOAP. Realizar a comunicação entre objetos remotos passou a ser semelhante a chamar um componente qualquer, permitindo até mesmo que o programador se esquecesse de que a comunicação ocorre via XML na porta 80.

E tudo isso funcionou, sim, no VB 6. Poucos sabem, mas a Microsoft disponibilizou, muito antes do ambiente .NET ser lançado, um conjunto de wizards e componentes chamado de Soap Toolkit, que permitiu "transformarmos" componentes COM em WebServices.

Aqui uma observação sobre o termo "transformarmos". Muitas pessoas que ainda não entenderam corretamente os WebServices imaginam que isso seja um novo tipo de componente. Isso está longe da verdade. Os webservices são mais comparáveis a um protocolo de comunicação do que a um componente. WebService é uma forma de comunicação padronizada entre dois componentes, mas que tipo de componentes, isso não é importante. Quem vai executar o serviço em si, pode ser qualquer um : Uma página ASP, um componente COM, enfim, qualquer coisa.

Mas o WSDL ainda não é suficiente para um bom funcionamento dos WebServices na Web. Isso porque ainda é necessário que o usuário do serviço saiba a localização exata do serviço para poder utiliza-lo.

Para facilitar a descoberta da localização de serviços foi criado o protocolo de Discovery. Através deste protocolo podemos interrogar um servidor web para descobrirmos os serviços que o servidor possui.

Porém com o protocolo de Discovery ainda teríamos que interrogar servidor por servidor para localizarmos um serviço. Para evitar isso foi criado o padrão UDDI, um padrão para catálogos públicos de WebServices. A propria Microsoft mantém um catálogo UDDI, que pode ser pesquisado através do próprio Visual Studio.

Várias empresas já oferecem WebServices, tal como a amazon e o Google. Vamos ver um exemplo da utilização de WebServices utilizando o WebServices do Google para realizar uma pesquisa no mecanismo do Google através de uma Windows Application do .NET.

Para o uso do WebServices do Google é necessário se cadastrar (gratuitamente) e baixar um kit de desenvolvimento do endereço http://www.google.com/apis/ . Vamos porém fazer a demonstração diretamente com o VB.NET, utilizando uma chave já gerada no momento de um cadastramento no google.

O primeiro passo para fazer uso do WebService é fazer uma referência ao WebService. A referência a WebServices é um pouco diferente da referência a componentes. Para fazer uma referência a um WebService devemos utilizar a instrução Add Web Reference, que pode ser encontrada clicando-se com o botão direito sobre o projeto.

Na tela que se abre precisamos informar o endereço onde se encontra o arquivos WSDL, ou seja, o arquivo que descreve o serviço do Google.

O endereço do arquivo WSDL do google é http://api.google.com/GoogleSearch.wsdl .
Deve-se ter cuidado ao digitar este endereço pois o servidor do Google é case sensitive. Após digitarmos o arquivo WSDL será baixado e poderemos clicar no botão Add Reference, que irá adicionar a referência na aplicação.

Após termos adicionado a referencia ao projeto veremos algo semelhante a uma pasta, mas com um ícone personalizado (um globo). Esta pasta ganhará um nome baseado no nome do site que originou o arquivo WSDL (só que ao contrário).

Para simplificar o trabalho podemos clicar sobre o globo e alterar o nome desta pasta, utilizando algo como Google, por exemplo.

Vamos então criar um Windows Form para realizar a pesquisa no Google. Precisaremos dos seguintes objetos :

txtPesquisar : Uma caixa de texto onde o usuário poderá digitar o texto a ser pesquisado.
LblTotal : Um label que deverá exibir o total de resultados encontrados.
cmdPesquisar : Botão que irá executar a pesquisa
lstResultado : ListBox que irá exibir o resultado da pesquisa

Nossa programação deverá toda ser realizada no botão cmdPesquisar. Veja como fica o código :

Private Sub cmdPesquisar_Click(ByVal   sender As System.Object, _
         ByVal e As System.EventArgs) Handles cmdPesquisar.Click
 Dim ChaveLicenca As String ' Variável para guardar a chave de acesso
 ' Variável para acesso ao WebService do Google
         Dim ServGoogle As Google.GoogleSearchService = New _
         Google.GoogleSearchService()
 ' Variável para receber o resultado da pesquisa
         Dim ResultadoPesquisa As Google.GoogleSearchResult
 ' licença  de acesso
         ChaveLicenca = "tGCTJkYos3YItLYzI9Hg5quBRY8bGqiM"
 ' Executa a pesquisa no Google
         ResultadoPesquisa = ServGoogle.doGoogleSearch(ChaveLicenca, _
         txtPesquisar.Text, 0, 1, False, "", False, "", "",          "")

         ' Exibe o total de itens encontrados
         lblTotal.Text = ResultadoPesquisa.estimatedTotalResultsCount

         End Sub

Observe que a pasta Google passou a ser reconhecida pela aplicação de forma semelhante a um nameSpace. Passamos a ver as classes expostas pelo WebService do Google como se fossem classes locais. Desta forma podemos instanciar a classe GoogleSearchService e utilizar o método doGoogleSearch para realizarmos a pesquisa.

Os principais parâmetros do método doGoogleSearch são a chave de licença de acesso, o texto a ser pesquisado no google e o valor 1, que indica o número máximo de respostas que desejamos obter. Observe que a limitação deste número não limita a resposta da propriedade estimatedTotalResultsCount, que continua mostrando o total de resultados encontrado no banco de dados do Google.

Neste exemplo, porém, estamos apenas exibindo o total de itens encontrados, não os itens propriamente. Vamos então melhorar um pouco este código :

 Private Sub cmdPesquisar_Click(ByVal sender As System.Object, _
         ByVal e As System.EventArgs) Handles cmdPesquisar.Click
 Dim ChaveLicenca As String ' Variável para guardar a chave de acesso
 ' Variável para acesso ao WebService do Google
         Dim ServGoogle As Google.GoogleSearchService = New _
         Google.GoogleSearchService()
 ' Variável para receber o resultado da pesquisa
         Dim ResultadoPesquisa As google.GoogleSearchResult
 'Variável para tratar os resultados obtidos
         Dim UmResultado As google.ResultElement
 ' licença de acesso
         ChaveLicenca = "tGCTJkYos3YItLYzI9Hg5quBRY8bGqiM"
 ' Executa a pesquisa no Google
         ResultadoPesquisa = ServGoogle.doGoogleSearch(ChaveLicenca, _
         txtPesquisar.Text, 0, 10, False, "", False, "", "",          "")

         ' Exibe o total de itens encontrados
         lblTotal.Text = ResultadoPesquisa.estimatedTotalResultsCount
 'Laço para tratar cada um dos resultados obtidos
         For Each UmResultado In ResultadoPesquisa.resultElements
                  lstResultado.Items.Add(UmResultado.title)
         Next
 End Sub

Observem as pequenas mudanças :

  • O valor 1 foi alterado para 10, indicando que desejamos obter como resposta um máximo de 10 resultados.
  • O tipo ResultElement foi utilizado para fazermos um For/Each na coleção resultElements obtida e desta forma inserirmos item por item na listbox.

Observe que as classes e métodos utilizados a partir da pasta Google são classes e métodos específicos do serviço do Google. Cada WebService estará expondo classes e métodos personalizados.

Com esse exemplo podemos ter uma boa noção dos recursos que a utilização de WebServices nos oferece. São milhares de novas possibilidades em termos de desenvolvimento de software.

Dennes Torres
MCSD,MCSE,MCDBA

 





Envie seus comentįrios sobre este artigo

Nome :

E-mail :

Comentários :


Avise-me quando houverem novos comentįrios nesta pįgina

Veja abaixo os comentários já enviados :

Nome : Gabriel Araujo E-Mail : gabrielsantos182@hotmail.com
Muito bom.. !!! exemplo muito util e traz uma funcionalidade real dos web services...

Gostaria de saber se existe um webservice do msn busca e de outros sistemas de busca?

Gabriel Araujo - cuiaba - MT
Nome : Dennes Torres E-Mail : dennes@bufaloinfo.com.br

Creio que não... mas de uma olhada nos servidores UDDI... na própria start page do Visual Studio você tem acesso aos servidores UDDI da Microsoft, pelos quais você pode buscar webServices existentes em todo o mundo...
Nome : Marcelo E-Mail : mribeirod@ig.com.br
Excelente, Dennes. Mas tenho 2 obs.
1- Mudei a chave de licença e continuei acessando o serviço;
2- Quando tentei usar o código num webform, não funcionou... é normal???

Abraços, Marcelo.
Nome : Eduardo E-Mail : eduardo.silva@uol.com.br
Instalei Office Xp Web Service Toolkit 2.0, e quero utilizar o WebService do google no Access. Ao adicionar o webservice é importada as classes.. tudo certinho. porem ao compilar o codigo acima o access nao reconhece a expressão "handles" . que devo proceder?
Nome : E-Mail :
Dennes, vc sabe validar formulário em branco?
Nome : Thiago E-Mail : planetapade@hotmail.com
Gostaria de saber qual é o link exato de onde consigo pegar uma chave dessa.
Muito obrigado.
Nome : Rodrigo E-Mail : rodrigocesar.ac@gmail.com
Parabéns! Muito prático e útil.

Obrigado.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::
Conheça mais sobre o nosso site :

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::



Quer saber mais?
Faça um curso na Búfalo Informática, Treinamento e Consultoria e
Prepare-se para o Mercado!
Veja o que a Búfalo tem para você.

ļæ½ BĆŗfalo InformĆ”tica, Treinamento e Consultoria - Rua Ɓlvaro Alvim, 37 Sala 920 - CinelĆ¢ndia - Rio de Janeiro / RJ
Tel.: (21)2262-1368 (21) 9240-5134 (21) 9240-7281 e-Mail:
contato@bufaloinfo.com.br